Celorico da Beira acolhe a Festa e Feira de Santa Eufémia nos dias 15 e 16 de setembro

Celorico da Beira vai receber, nos dias 15 e 16 de setembro, a tradicional Festa e Feira de Santa Eufémia que assume especial relevância na religiosidade das suas gentes, pelo que a programação deste ano é, como habitualmente, de cariz religioso e económico-social.


Vigília, terço e eucaristia na Capela de Santa Eufémia, feira anual, feira de gado, exposição de fotografias antigas e a atuação do actor e humorista Marco Horácio, com o seu Rouxinol Faduncho completam o programa da edição deste ano.



Sendo Celorico da Beira um município essencialmente rural e a produção de Queijo Serra da Estrela, produto de excelência da pastorícia, o principal pilar sua economia, a feira de Sta Eufémia tem assumido, ao longo dos tempos, uma importância fulcral para o desenvolvimento desta atividade, uma vez que, é nesta época que se inicia a sua produção.


A Festa começa com cultos religiosos (vigília e terço), na capela de Sta Eufémia, na noite da véspera, dia 15 de setembro.


No dia de Sta Eufémia (16 de setembro), para além da cerimónia religiosa na capela (missa), constam do programa a realização da feira anual e a feira de gado, e a eucaristia na Capela de Santa Eufémia. Os restaurante locais servem a famosa sopa de grão a quem desejar  aconchegar o estômago.


Ao início da noite, abertura da exposição "Coletânea de Fotografias Antigas de Celorico da Beira" e o espetáculo de Marco Horácio com o "Rouxinol Faduncho" pelas 21h30 no Centro Cultural de Celorico da Beira


Perde-se nos tempos, a origem do culto e da romaria a Santa Eufémia, tão fortemente enraizados nas gentes de Celorico da Beira, as quais lhe dedicaram uma pequena Capela – a Capela de Santa Eufémia , que se encontra no Jardim da Vila com o mesmo nome. Ocorria neste dia uma romaria, afluindo grande quantidade de pessoas vindas de toda a região cumprindo as suas promessas e que, segundo os costumes da época, traziam as suas oferendas para a Santa, rogando pelos seus milagres ou, pagando pelas bênçãos recebidas.


A necessidade de escoamento dos produtos agrícolas abundantes na região, fez com que, em 1766, fosse dirigida uma petição ao Rei para que instituísse uma Feira Anual em Celorico da Beira, no Lugar da Corredoura – junto à citada Capela – a qual manteve ao longo do tempo uma grande importância económica e social para a região, quer pelas trocas comerciais realizadas, quer pela quantidade de forasteiros que trazia à Vila.




139 visualizações

© 2020 Beira Alta TV | All Rights Reserved