Celorico da Beira: Homem arguido por incêndio florestal provocado por queima de sobrantes florestais



O Comando Territorial da Guarda, através do Núcleo Proteção Ambiental (NPA) da Guarda,ontem, dia 9 de fevereiro, constituiu arguido um homem de 59 anos por incêndio florestal, no concelho de Celorico da Beira.


Na sequência de um alerta de incêndio, os militares da Guarda deslocaram-se rapidamente para o local e apuraram que o incêndio teve origem numa queima de sobrantes florestais que se descontrolou devido à não adoção das medidas de segurança necessárias, tendo consumido cerca de 750 m2 de área florestal.


O homem foi constituído arguido, e os factos foram remetidos para o Tribunal Judicial de Celorico da Beira. Esta ação contou com o apoio dos Bombeiros Voluntários de Celorico da Beira.


A GNR relembra que:

  • As queimas e queimadas são das principais causas de incêndios em Portugal;

  • A realização de queimadas, de queima de amontoados e de fogueiras é interdita sempre que se verifique um nível de perigo de incêndio rural «muito elevado» ou «máximo», estando dependente de autorização ou de comunicação prévia noutros períodos;

  • Para evitar acidentes siga as regras de segurança, esteja sempre acompanhado e leve consigo o telemóvel.

A Guarda Nacional Republicana, através do Serviço da Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), tem como preocupação diária a proteção ambiental e dos animais. Para o efeito, poderá ser utilizada a Linha SOS Ambiente e Território (808 200 520) funcionando em permanência para a denúncia de infrações ou esclarecimento de dúvidas.