Guarda: Operação “Censos Sénior 2022” - GNR sinalizou 5243 idosos que vivem sozinhos e/ou isolados



O Comando Territorial da Guarda, durante todo o mês de outubro de 2022, no âmbito do Policiamento Comunitário, realizou a Operação “Censos Sénior 2022”, que visa garantir um conjunto de ações de patrulhamento e de sensibilização à população mais idosa, que vive sozinha, isolada, ou sozinha e isolada, através da atualização dos registos das edições anteriores.


Durante a operação, os militares realizaram uma série de ações que privilegiaram o contacto pessoal com as pessoas idosas em situação vulnerável, no sentido de sensibilizarem e alertarem este público-alvo para a adoção de comportamentos de segurança que permitam reduzir o risco de se tornarem vítimas de crimes, nomeadamente em situações de violência, de burla e furto.


Na edição de 2022 da Operação “Censos Sénior”, a Guarda realizou 26 ações em sala e 202 ações porta a porta, abrangendo um total de 2701 idosos.


Desde 2011, ano em que foi realizada a primeira edição da Operação “Censos Sénior”, a Guarda tem vindo a atualizar a sinalização geográfica, proporcionando assim um apoio mais próximo à nossa população idosa, o que certamente contribui, por um lado, para a criação de um clima de maior confiança e de empatia entre os idosos e os militares da GNR e, por outro, para o aumento do seu sentimento de segurança.


O Comando Territorial da Guarda sinalizou em 2022, 5243 idosos que vivem sozinhos e/ou isolados, ou em situação de vulnerabilidade, em razão da sua condição física, psicológica, ou outra que possa colocar em causa a sua segurança.


As sinalizações distribuem-se geograficamente, do seguinte modo:

Aguiar da Beira - 174

Almeida - 508

Celorico da Beira - 248

Figueira de Castelo Rodrigo - 316

Fornos de Algodres - 222

Gouveia - 393

Guarda - 733

Manteigas - 74

Mêda - 159

Pinhel - 402

Sabugal - 851

Seia - 375

Trancoso - 465

Vila Nova de Foz Côa - 323


A GNR continuará a acompanhar os idosos sinalizados, através de visitas regulares às suas residências, no sentido de realizar mais ações de sensibilização e fazer a avaliação da sua segurança, colaborando com as demais entidades locais, na procura da melhor qualidade de vida da população idosa, em especial dos mais vulneráveis.