Guarda vai ter um Centro de Arte e Natureza

A Câmara da Guarda aprovou esta segunda-feira, dia 12 de julho, por unanimidade, a criação de um Centro de Arte e Natureza – CAN, no âmbito da parceria/protocolo de cooperação com a Associação Luzlinar e a Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, no âmbito do projeto ARS- Estrutura de investigação em Arte e Ciência.


No quadro da visão estratégica de desenvolvimento que a Guarda 2027 preconiza, designadamente o surgimento de projetos de longo prazo, este Centro nasce da necessidade de compreender as múltiplas relações entre o individuo e a natureza, integrando diferentes áreas do conhecimento, de valorizar as ligações da Cultura-Património com a criatividade, no seu entrosamento com as práticas contemporâneas e para promover as diferentes responsabilidades culturais, sociais e humanas face às novas questões colocadas pela complexidade do mundo contemporâneo, especialmente a emergência ecológica.


Focado no binómio relacional entre arte e ecologia, o CAN terá como domínios de ação a Investigação, a Cultura e Aprendizagem, desenvolvendo e acolhendo pós-graduações, mestrados, doutoramentos, bem como projetos transdisciplinares de pesquisa e seminários de investigação, apresentações públicas, exposições, performances, projeções cinematográficas, residências de investigação artística, simpósios, seminários e conferências. Trata-se de uma plataforma de promoção e aprendizagem da arte e ciência para a cultura contemporânea, como polo de investigação agregador de sinergias científicas, polarizador de novas linhas de trabalho cruzando com os conhecimentos empíricos e métodos de investigação de proximidade no terreno.


Tendo como âmbito territorial inicial as Beiras e Serra da Estrela, este Centro, com sede na cidade da Guarda – em espaço a anunciar em breve - integrará a Estrutura de Investigação Arte e Ciência - ARS, com cinco Unidades de investigação instaladas ao longo da faixa oriental da Serra da Estrela, nos concelhos do Fundão, Belmonte, Guarda, Celorico da Beira e Trancoso, e a intenção de promover a sua extensão à Raia Espanhola, em especial às comunidades autónomas de Castilla y León e Extremadura, e às cidades que vão integrar a candidatura "Guarda 2027" a Capital Europeia da Cultura.


A rede de investigação do CAN visa incorporar, de forma cooperativa e gradual, diversas instituições de ensino superior, associações congéneres e ONG nacionais e internacionais. Inicialmente, esta rede integra um conjunto de entidades parceiras que manifestaram interesse em aderir ao projeto, a saber: FBAUL, Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa - CIEBA, Centro de Estudos e de investigação em Belas-Artes; UTAD, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro - CITAB, Centro de Investigação e Tecnologias Agroambientais e Biológicas; UBI, Universidade da Beira Interior - LabCom, Comunicação e Artes; FBAUL, Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa / FCTUNL, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa - Unidade de Investigação VICARTE - Vidro e Cerâmica para as Artes; ISA, lnstituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa; IPG - lnstituto Politécnico da Guarda / Unidade de Investigação para o Desenvolvimento do Interior; UP, University of Plymouth - Transtechnology Research (RU); USAL, Universidad de Salamanca (ES); DTK, Det Tverrfaglige Kunstinstitutt Kunstfagskolen i Bcerum (NOR) e EPLEFPA, Lycee Jean Monnet - Dep. Hautes Pyrenees(FR).

1 visualização