Incêndio Florestal: homem detido em Trancoso e outro arguido na Guarda por queimas descontroladas

O Comando Territorial da Guarda, através do Posto Territorial de Trancoso e do Núcleo Proteção Ambiental (NPA) da Guarda, deteve na quinta-feira, dia 17 de fevereiro, um homem de 78 anos e constituiu arguido um homem de 83 anos por incêndio florestal, em duas situações distintas, nos concelhos de Trancoso e da Guarda.


Na primeira situação, no concelho de Trancoso, na sequência de um alerta de incêndio, os militares da Guarda apuraram que na origem de queimas de sobrantes florestais que se encontravam autorizadas, ocorreu incêndio que se descontrolou devido à não adoção das medidas de segurança necessárias, tendo consumido cerca de sete hectares de área florestal. Na sequência da ação, foi detido o homem de 78 anos por incêndio florestal, que se encontrava no local.


Os factos foram remetidos para o Tribunal Judicial de Trancoso.


Na segunda situação, no concelho da Guarda, os elementos do NPA, após diligências de investigação de um incêndio que consumiu cerca de quatro hectares de área florestal, conseguiram localizar o autor da queima que não se encontrava no local do incêndio. O autor do incêndio de 83 anos foi posteriormente constituído arguido.


Os factos foram remetidos para o Tribunal Judicial da Guarda.


Estas ações contaram com o apoio dos Bombeiros Voluntários de Trancoso e dos Bombeiros Voluntários de Gonçalo.

A GNR relembra que:

  • As queimas e queimadas são das principais causas de incêndios em Portugal;

  • A realização de queimadas, de queima de amontoados e de fogueiras é interdita sempre que se verifique um nível de perigo de incêndio rural «muito elevado» ou «máximo», estando dependente de autorização ou de comunicação prévia noutros períodos;

  • Para evitar acidentes siga as regras de segurança, esteja sempre acompanhado e leve consigo o telemóvel.

A Guarda Nacional Republicana, através do Serviço da Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), tem como preocupação diária a proteção ambiental e dos animais. Para o efeito, poderá ser utilizada a Linha SOS Ambiente e Território (808 200 520) funcionando em permanência para a denúncia de infrações ou esclarecimento de dúvidas.