Município da Guarda cancela o tradicional Julgamento e Morte do Galo



O Município da Guarda revelou hoje, que vai cancelar o tradicional Julgamento e Morte do Galo, o momento alto da GuardaFolia, que faz do Carnaval da Guarda um Carnaval genuinamente português. Em comunicado, a autarquia refere que "Dada a evolução contínua de subida da pandemia no Concelho da Guarda, que ao dia de hoje, 4 de fevereiro, ascende a 1524 casos ativos na Guarda, é com tristeza, mas com sentido de responsabilidade, que o Município da Guarda decide adiar por mais um ano esta nossa icónica tradição, salvaguardando a saúde dos Guardenses e daqueles que nos visitam".


Na Guarda, o Carnaval tem assumido a forma e a “celebração” no e Julgamento e Morte do Galo, como uma das manifestações populares de expiação, excesso e crítica mas sempre purificadora, mais caraterísticas e diferenciadoras de todo Portugal.


A queima do galo é o auge e representa a efetiva renovação. São assim expiados os pecados da sociedade, ardendo e representando a renovação da esperança. Este ritual marca o final do período de folia, aproximando-se assim a Quaresma, época de penitência e oração.


O carnaval da Guarda tem assumido, nos últimos anos, com o Julgamento e Morte do Galo, uma dimensão popular, cujo sucesso determina enormes aglomerações de pessoas que, apesar do frio da época, saem à rua como participantes, mais de 1200 pessoas de todas as freguesias da Guarda, atores e músicos, dando corpo ao “desfile e julgamento do Galo e, como espetadores, atraindo milhares a este “corso” genuinamente português.